INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR, INSCREVAM-SE NO PROGRAMA
Edital - Projetos Conjuntos de Pesquisa entre Instituições Brasileiras e Estrangeiras com modalidades de Graduação Sanduíche e Doutorado Sanduíche.
Até 30 de outubro
    Edital - Formação Pré-Acadêmica de Acesso à Pós-Graduação.
Até 30 de outubro de 2014
 

Comunicado 11/12/2014

A Comissão Técnica de Seleção, instituída pela Portaria MEC nº 93, de 12 de novembro de 2014, torna público o resultado da seleção de projetos do Edital SESu/SECADI nº 1, de 28 de maio de 2014 , que trata da oferta de cursos para adesão à Formação Pré-Acadêmica de Acesso à Pós-Graduação.

Comunicado

A Comissão Técnica de Seleção, instituída pela Portaria MEC nº 93, de 12 de novembro de 2014, responsável pela avaliação dos projetos referentes ao Edital SESu/SECADI nº 1, de 28 de maio de 2014, que trata da oferta de cursos para adesão à Formação Pré–Acadêmica de Acesso à Pós–Graduação, COMUNICA que a divulgação dos resultados referentes à seleção ocorrerá no dia 11 de dezembro de 2014, em decorrência do grande número de propostas encaminhadas.

Brasília/DF, 5 de dezembro de 2014.

Thiago Thobias – Diretor de Políticas de Educação do Campo, Indígena e para as Relações Étnico–Raciais –DPECIRER/SECADI/MEC
Martinha Clarete Dutra dos Santos – Diretora de Políticas de Educação Especial – DPEE/SECADI/MEC
Fabiana de Souza Costa – Representante Coordenação–Geral de Relações Estudantis – CGRE/DPPG/SESu/MEC

 

Sobre o Programa

O "Programa de Desenvolvimento Acadêmico Abdias Nascimento" tem como objetivo propiciar a formação e capacitação de estudantes autodeclarados pretos, pardos, indígenas e estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades, com elevada qualificação em universidades, instituições de educação profissional e tecnológica e centros de pesquisa no Brasil e no exterior.

Os objetivos do "Programa de Desenvolvimento Acadêmico Abdias Nascimento" são:

I — promover, por meio da concessão de bolsas de estudos, a formação de estudantes brasileiros pretos, pardos e indígenas, estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades, conferindo—lhes a oportunidade de novas experiências educacionais e profissionais voltadas à educação, à competitividade e à inovação em áreas prioritárias para a promoção da igualdade racial, do combate ao racismo, do estudo e valorização das especificidades socioculturais e linguísticas dos povos indígenas, da acessibilidade e inclusão no Brasil, e da difusão do conhecimento da História e Cultura Afro—Brasileira e Indígena;

II – ampliar a participação e a mobilidade internacional de estudantes autodeclarados pretos, pardos, indígenas e estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades em cursos técnicos de graduação e pós–graduação para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, estudos, treinamentos e capacitação em instituições de excelência no exterior, especialmente as que possuam tradição na promoção da igualdade racial, do combate ao racismo, do estudo e valorização das especificidades socioculturais e linguísticas dos povos indígenas, da acessibilidade e inclusão, das ações afirmativas para minorias, e da difusão do conhecimento da História e Cultura Afro–Brasileira e Indígena;

III – criar oportunidade de cooperação entre grupos de pesquisa brasileiros e estrangeiros, de universidades, instituições de educação profissional e tecnológica, e centros de pesquisa de reconhecido padrão internacional em promoção da igualdade racial, do combate ao racismo, do estudo e valorização das especificidades socioculturais e linguísticas dos povos indígenas, da acessibilidade e inclusão, e da difusão do conhecimento da História e Cultura Afro–Brasileira e Indígena;

IV – promover a cooperação internacional na área de educação, ciência, tecnologia, inovação e políticas de promoção da igualdade racial, do combate ao racismo, do estudo e valorização das especificidades socioculturais e linguísticas dos povos indígenas, da acessibilidade e inclusão, das ações afirmativas para minorias, e da difusão do conhecimento da História e Cultura Afro–Brasileira e Indígena;

V – estimular a troca de experiência em âmbito internacional para a construção de igualdade de direitos e oportunidades no país;

VI – estimular e aperfeiçoar as pesquisas aplicadas no País, visando ao desenvolvimento científico e tecnológico e à inovação para a promoção da igualdade racial, do combate ao racismo, do estudo e valorização das especificidades socioculturais e linguísticas dos povos indígenas, da acessibilidade e inclusão, e da difusão autodeclarados pretos, pardos, indígenas e estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades no mestrado e doutorado em universidades públicas no Brasil.

VII — Promover programas de acesso e permanência de estudantes autodeclarados pretos, pardos, indígenas e estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades no mestrado e doutorado em universidades públicas no Brasil.